A bola teimou em não entrar

Duas bolas ao ferro e uma mão cheia de oportunidades não concretizadas ditaram um nulo no jogo com o Marítimo.

Um resultado injusto para quem tentou quase tudo para marcar e viu os 93 minutos de jogo esgotarem-se sem conseguir concretizar.

Na primeira parte Lionn, aos 12 minutos com um remate fortíssimo, Paciência, que chega tarde (por milímetros) a um cruzamento e Petrovic aos 44 que remata cruzado e muito próximo do poste deixaram o sinal de quem queria mais.

Na segunda metade o Marítimo dês seu mais, jogou com o tempo e procurou o ponto, juntando as linhas no seu ultimo terço e tentando aproveitar os erros do Rio Ave FC.

Logo na abertura Paciência entra na área passa por três adversários e quase marca. Aos 53′ Ruben remata e a bola vai… ao poste. Aos 59′ foi a vez do guarda redes Charles negar o golo a Ruben. A estas somam-se outras, como a de Paciência aos 64, de Krovinovic aos 65, com um remate de primeira por cima, ou a de Roderick aos 90 minutos.

Por fim, além da ineficácia, do guarda-redes adversário e dos ferros da baliza… ainda fica uma grande penalidade por assinalar, sobre Ruben Ribeiro, clara, que o arbitro não viu.