V_P_7834 V_P_7898 V_P_8154 V_P_8160 V_P_8222 V_P_8232 V_P_8263 V_P_8468 V_P_8490 V_P_8513
<
>

Bolas paradas ditam resultado

Com a nossa equipa entrar melhor na partida e a dispor de ocasiões que iriam garantir o inicio do que poderia ser um resultado positivo, acabaram por ser duas situações de bola parada a alterar o rumo à história.

 

Logo aos 5 minutos, Guedes de cabeça consegue levar a bola a passar por entre as pernas do guarda-redes vitoriano, que entretanto ainda evita o golo em cima da linha de golo.

Aos 9 minutos, na sequência de um canto, novamente o guarda-redes do Vitória realiza uma defesa vistosa e evita mais um lance de golo.

O Vitória tem depois uma ocasião de golo por Rafael Martins e Raphinha, aos 16 minutos e um lance invalidada de fora de jogo que anula um golo ilegal.

Equilibra o Vitoria o jogo com um crescendo ofensivo e é de bola parada, na marcação de um canto, aos 22 minutos, que chega ao golo. Marcelo, ao tentar desviar a bola, acabava por marcar na própria baliza.

Logo depois, Novais, aos 28 minutos, tem uma oportunidade de marcar, mas falha a direcção e a força do remate que parecia mortífero.

Não marcou a nossa equipa, marcou a equipa da casa. Um minuto depois, Jubal, na marcação de um canto, desvia a bola para o golo. Estava feito o 2-0, sem que o Rio Ave FC fosse merecedor desta desvantagem.

Aos 32 minutos, Tarantini não conseguiu a melhor definição de um lance de muito perigo e com isso gorou-se mais uma oportunidade.

Tal como antes, aproveitando o adiantamento da nossa equipa, o Vitoria, em contra-ataque rápido faz o 3-0.

Estava feito o resultado.

A nossa formação nunca conseguiu inverter o resultado, ainda que na segunda parte tivesse uma postura muito positiva e com oportunidades (Guedes marcou mas foi invalidado por fora de jogo no inicio da jogada).

O Vitória venceu por 3-0, encurtou a diferença para a nossa equipa na classificação de 10 para 7 pontos.