MDSC_2759MDSC_2834mDSC_2978mDSC_3122mDSC_3212mDSC_3215mDSC_3438mDSC_3451mDSC_3457mDSC_3472mDSC_3523mDSC_3585mDSC_3843mDSC_3858mDSC_3888mDSC_4668mDSC_4776mDSC_4786mDSC_4801D50_6064D50_6305D50_6337D50_6475D50_6499D50_6580D50_6637D50_6651D50_6665D50_6704D50_6712D50_6827
<
>

Derrota por culpa alheia

Marcar 3 golos (um deles bem anulado por fora de jogo) e perder um jogo por 2-3 até poderia ser “normal” olhando de forma fria para os números, mas a história do jogo conta mais do que os números.

A história do jogo conta que a nossa equipa “começou” a perder com o Benfica a aproveitar um mau alivio da nossa defesa. Reza a história também que a nossa prestação foi excelente e que já ao cair do pano da 1ª parte, Gabrielzinho é carregado em falta na área adversária e não foi assinalada a falta. Como se tal já não fosse penalizador, o Benfica, no contra ataque faz o 0-2. Mas não fica por aqui o enquadramento de erros sucessivos. É que João Felix, que marca o golo, parte de fora de jogo para beneficiar da posição.

Erros crassos que mudam toda a história.

Mas nem assim a nossa equipa se rendeu chegando ao 1-2, por Tarantini.

Mesmo quando se viu numa situação de 1-3 no marcador a equipa reagiu e Ronan fez o 2-3.

Terminamos o jogo à procura do empate e com uma prova de bravura imensa.

Tivesse o arbitro, ou VAR, terem analisado bem as coisas e o desfecho poderia ser bem outro.