Escola de Futebol celebra 9 anos

Mensalmente as crianças da Escola de Futebol do Rio Ave FC juntam-se ao sábado de manhã, convidam outras escolas e, entre alguns jogos e muitas brincadeiras, mostram o que aprendem durante a semana. Há 9 anos que esta dinâmica se repete e, cada vez com mais sucesso.

A história recente mostra-nos mais de 100 crianças inscritas, e diversas atividades realizadas, a última a participação na Liga Carlos Alberto. Mas como foi o primeiro treino da Escola de Futebol ou como surgiu o projeto em 2004?

 António Barros, antigo jogador do Rio Ave FC é fundador da escola de futebol e um dos homens que está hoje a liderar o projeto, conta como encontrou a inspiração, onde é que começou esta ideia e até algumas das peripécias.

Apesar de ter sido formada em 2004, o projeto começa a ser idealizado ainda na década de 90 nas praias brasileiras onde António Barros foi convidado por um antigo jogador do Rio Ave a integrar um treino de uma escola de futebol local e “gostei tanto daquilo que pensei que também era possível em Vila do Conde”, e assim foi. Primeiro com o ABC da Bola, uma escola localizada na Colónia de Férias de Árvore. Durante alguns anos a escola funcionou ali, mas o sonho obrigava a torna-la maior.

É então que surge a oportunidade de o Rio Ave criar uma Escola de Futebol para crianças a partir dos 4 anos de idade e António Barros agarrou a oportunidade e foi fazendo crescer a escola dos 40 alunos iniciais para os mais de 100 na atualidade.

O início foi naturalmente complicado, era necessário montar a estrutura e trabalhar bem com poucos recursos, não existiam os relvados sintéticos que hoje se perfilam por trás da bancada nascente e por isso a Escola de Futebol treinava nos topos do relvado, mas nem sempre, como aconteceu logo no primeiro treino.

António Barros recorda o dia de inauguração com uma alegria entusiasmante, mas lembra que não foi fácil. “Íamos treinar no topo sul do relvado, mas quando aqui chegamos o relvado tinha sofrido um tratamento e não podia ser pisado. Tínhamos 40 crianças à porta para jogar futebol, era preciso arranjar uma solução e fomos treinar para o relvado em frente ao quartel dos bombeiros”. A solução estava criada, os equipamentos e as bolas novas esperavam para ser estreados, mas “a relva estava cheia de lama”, levantaram-se algumas dúvidas, mas no final “fomos todos para a lama fazer o primeiro treino da Escola de Futebol. Chegamos ao fim muito sujos, mas muito felizes”.

Hoje a escola de futebol está a crescer, tem mais atletas, mais treinadores e outras condições, mas uma coisa mantém-se, “e enquanto eu cá estiver vai continuar assim”, a tentativa de jogar futebol de rua num relvado. Para António Barros o importante é as crianças explorarem a criatividade que têm e “nós temos de ser capazes de identificar os seus erros e ajudá-los a corrigir, mas sobretudo deixá-los crescer”.

Amanhã, na atividade mensal, comemoram-se os 9 anos da Escola de Futebol do Rio Ave Futebol Clube, os sócios estão todos convidados a participar da festa, a partir das 10:30