Resultado negativo e pesado que não vai derrubar

Um resultado negativo de 5-1, em Braga, não traduz, em nada, a verdade de um jogo da Liga NOS onde o Rio Ave FC dividiu os índices estatísticos e o domínio do jogo com o adversário.

Depois de um início de jogo equilibrado e bem “vivo”, de ambas as partes, surge o primeiro golo, aos 10 minutos, por Hassan. Ficará na estatística apenas o golo e não o duplo erro que a equipa de arbitragem cometeu ao não assinalar, no mesmo lance, duas situações de fora de jogo. Aquando o cruzamento para a área, Stojiljković está adiantado, cabeceando depois para a defesa de Cácio, estando já Hassan adiantado e beneficiando disso para marcar.

7 minutos depois, num lance de contra-ataque, Rafa afasta Edimar com o braço, o arbitro nada assinalou e, na sequência, Hassan faria o 2-0.

No início da segunda metade, Kayembe reduziu para 2-1 e mostrava um Rio Ave FC atrevido e com força para dar a volta ao resultado. Por duas vezes seguidas o golo esteve a centímetros da baliza do SC Braga. Na ultima situação o remate de Novais passa mesmo a quase raspar o poste, depois de desviado por um adversário. O arbitro considerou pontapé de baliza, quando deveria ser canto. Na sequência… o Braga marca o 3º golo.

Da possibilidade de ficar à frente do marcador, o Rio Ave fC viu-se a perder por 3-1. O avolumar do resultado em nada põe em causa a postura e a entrega dos nossos jogadores, que viram entradas duras não serem sancionadas com cartão, enquanto as suas faltas, a meio campo, sem serem violentas, foram penalizadas com amarelos.

Pedro Martins, no final da partida, deixava o voto de confiança e a certeza de que a equipa, já amanhã, estaria já focada nos próximos compromissos e ainda mais forte.

Já o presidente, António Silva Campos, fez questão de se deslocar à sala de imprensa para dizer que o Rio Ave FC irá estar “muito atento  a tudo o que se vai passar no futuro” mais próximo, tendo em vista os jogos importantes que se avizinham.

Nota ainda para um pormenor jogo, que poderia passar despercebido numa noite de “pesada e imerecida pena”. Pedro Martins, depois de ter “lançado”  o Junior Tiago André, na Taça da Liga, hoje fez entrar Jaime, curiosamente para o lugar do seu irmão Yazalde.

“Jaiminho” é mais uma pérola da formação rioavista, um jovem valor a crescer e que prova que o Rio Ave FC trabalha o futuro com bases sólidas e que, mesmo quando as coisas parecem mais difíceis, impera a coragem de crescer e fazer crescer.

Jaime Pinto