RMDSC_9414 DSC_9423 DSC_9472 R10DSC_0133 R12DSC_0080 R12DSC_1048 R14DSC_9806 R25DSC_9538 R96DSC_0295 DSC_9369
<
>
foto Kapta+/RAFC

Assim não!!!

O jogo em Santa Maria da Feira até começou da melhor forma. Rio Ave FC e Feirense uniram-se à iniciativa da Liga no agradecimento aos bombeiros e, por iniciativa própria, ofereceram uma camisola de cada Clube aos bombeiros presentes com um OBRIGADO inscrito nas costas das ditas camisolas.

Um gesto simbólico, antes do minuto de silêncio a lembrar as vitimas dos incêndios mais recentes, que serviu para agradecer a todos os soldados da paz, heróis todos os dias e nem sempre reconhecidos ou lembrados.

O espírito que era transversal a todos antes do jogo, depressa desapareceu com o início da partida.

O Feirense entrou melhor, marcou por Luis Rocha e obrigou o Rio Ave FC a reagir, o que fez de pronto.

Primeiro momento do jogo: Geraldes sofre uma entrada duríssima de Luis Rocha. O arbitro mostra o amarelo, recorre ao VAR e mantém a decisão… a entrada valia o vermelho.

Aos 30 minutos, na sequência de um canto Marcelo só não marcou porque o guarda-redes do Feirense defendeu quase por instinto.

Aos 36 minutos, mão de Luis Rocha na área, segundo amarelo para o capitão da equipa da Feira e penalti. O arbitro ainda haveria de recorrer pela segunda vez ao VAR, mas manteve a decisão. Pelé acerta no poste na marcação do pénalti, mantendo a vantagem do Feirense.

Na segunda metade o futebol quase não existiu. A equipa da casa usou e abusou do anti-jogo, demorando na reposição de bola, nas lesões que faziam cair no solo os jogadores ou nas bolas que não apareciam para seguir o jogo. A opção táctica do Feirense passou apenas por não deixar jogar o Rio Ave FC sem qualquer preocupação com construção de jogo ou pelo lado mais estático do jogo, daí se justificam os 75% de posse de bola do Rio Ave FC no final da partida.

Como se tal não bastasse o desacerto da arbitragem foi gritante. Um descontrole total penalizando a nossa equipa de uma forma injustificável.

  • Aos 56 minutos, Bruno Teles é expulso, com 2º amarelo, por… ter chocado com um adversário (é o jogador do Feirense que chega tarde à bola e choca com Teles).
  • Tarantini faz golo, sem qualquer falta. O arbitro considera que o capitão cometeu falta (???) e não recorre ao VAR.
  • Grande penalidade sobre Guedes, por carga clara nas costas do avançado. Arbitro não assinala e não recorre ao VAR.
  • Etebo choca com Marcelo na área do Rio Ave FC. Árbitro recorre ao VAR, acabando por nada assinalar.
  • João Silva travado por Marcão. Arbitro mostra amarelo, mas depois recorre ao VAR e expulsa Marcão. O lance é igual ao sofrido por Geraldes na 1º parte que deu amarelo ao jogador do Feirense.

O Rio Ave FC terminou com 9 jogadores, ficando privado de 2 jogadores (por expulsão) para próximo jogo, perde o jogo quando marcou um golo que foi mal invalidado, falhou uma grande penalidade e viu uma outra ser-lhe negada quando era, por demais, evidente.

Assim  é difícil…. Assim não.