Esclarecimento

Face aos acontecimentos que levaram ao adiamento do jogo com o Vitória SC, relativo à 1ª jornada da LIGA NOS, cabe ao Rio Ave FC esclarecer o seguinte:

Há cerca de 4 meses, e consciente da necessidade de cumprir o regulamento da Liga de Clubes sobreAS INFRAESTRUTURAS E CONDIÇÕES TÉCNICAS E DE SEGURANÇA NOS ESTÁDIOS”, o Rio Ave FC solicitou a uma entidade independente, o Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP), a realização de um estudo sobre as condições estruturais da bancada nascente do estádio.

O resultado deste estudo chegou ao Rio Ave FC no dia 8 de Agosto de 2019, quinta-feira, 72 horas antes do jogo com o Vitória SC, quando todo o processo de organização do referido jogo estava já concluído, inclusive a venda de ingressos e a entrega de 2.500 bilhetes para o Vitória SC tinha sido já agilizada.

As conclusões do relatório consideravam o seguinte:

“11. Atendendo ao estado …da maioria dos elementos estruturais da bancada… a normal utilização da bancada, na sua função de suportar acções provenientes da sobrecarga do público, está severamente comprometida.

 12. Assim sendo, por razões de segurança estrutural, recomenda-se ao dono da infraestrutura, como medida imediata, a suspensão da utilização da bancada para qualquer tipo de actividade que envolva a presença de público”.

Ao tomar conhecimento do relatório do ISEP, o Rio Ave FC, optou responsavelmente pelo encerramento da bancada até que fossem aprofundadas as condições ou pormenores que resultariam de uma análise mais profunda, sublinhando, no entanto, a sua indignação pela demora do acesso a estas conclusões e pelo timing das mesmas, considerando que o conhecimento desta realidade mais cedo teria diminuído o impacto negativo e permitido agir ou encontrar outra estratégia de organização do jogo.

Porque a preservação e a segurança do valor da vida humana estão acima de qualquer outro interesse, o Rio Ave FC jamais colocou a hipótese de ignorar ou omitir este facto que lhe foi comunicado, ainda que não haja qualquer interdição de uso do espaço ou que este esteja em risco de ruína.

Por isso, de imediato foram contactadas as entidades responsáveis e envolvidas em toda a orgânica do evento: Liga de Clubes, forças de segurança e o Vitória SC.

  • Foi marcada uma reunião, com caracter de urgência com todas estas entidades e com o Rio Ave FC, que decorreu no nosso estádio na tarde do dia 9, sexta-feira.
  • Era intenção e de interesse desportivo do Rio Ave FC que o jogo fosse realizado, vontade partilhada pelo Vitória SC.
  • Foi apresentada na reunião um novo esquema de organização e uma redefinição de condições para a sua realização.
  • Foi transmitido que, dado o impedimento na utilização da bancada, seria apenas utilizada a bancada poente, cumprindo o regulamento referente ao numero mínimo exigido de lugares num estádio.
  • Foi indicado também um sector próprio para os adeptos visitantes, disponibilizando cerca de 900 lugares disponíveis.
  • Foi sugerida a recolha e anulação de todos os ingressos entretanto distribuídos ou vendidos e a realização de uma nova operação de bilhética.
  • Foram garantidas as condições regulamentares para o sector visitante com a alocação de sanitários e serviços de bar, entretanto contratados.
  • Foi apresentado um conjunto de soluções, dentro da bancada poente, para garantir a localização dos visitantes dentro do regulamentado.

Surgiu da parte das forças de segurança (PSP) a informação que os responsáveis haviam transmitido aos graduados presente na reunião que não estariam reunidas as condições de segurança adequadas para a realização do evento.

A justificação apresentada baseava-se no receio de reação tumultuosa dos adeptos visitantes que iriam ficar sem os ingressos ou impedidos de o adquirir, dado que teria de haver uma redução para 900 lugares.

  • Foi transmitido pelas forças de segurança que qualquer problema de ordem publica ou segurança que viesse a ocorrer seria da responsabilidade do Rio Ave FC, promotor do evento.

Perante este facto, e dado que todos os intervenientes na organização de um jogo da Liga NOS devem apresentar satisfação e anuência sobre as condições existentes e a PSP não o faria, não haveria outra solução senão ter de aceitar a nova calendarização do jogo com o Vitória SC, ainda que esta solução não fosse ao encontro do nosso interesse desportivo ou da solução que acharíamos ser a ideal.

Até que seja realizada uma análise mais profunda ao relatório, a bancada fica encerrada ao público.

Sublinhamos, porque para nós é de inquestionável maior interesse o valor da preservação da segurança.

 

Vila do Conde, 18 de Agosto de 2019