Jogador Em Foco: Fábio Lima

Fábio Lima estreou-se recentemente com o camisola da Seleção Nacional de Futsal e logo a marcar. O ala apontou o segundo golo do desafio amigável com a Polónia, jogo que Portugal venceu por três bolas a uma.

O jogador chegou ao Rio Ave FC esta temporada e tem sido peça importante na caminhada que o nosso emblema tem vindo a realizar no Campeonato Nacional.

Fique a conhecer Fábio Lima na primeira pessoa na grande entrevista “Jogador Em Foco”!

RAFC: A paixão foi desde sempre futsal ou o futebol de onze foi escolha primordial?
Fábio Lima: Eu comecei a jogar futsal no bairro onde morava, o Fonte da Moura, e só assim foi surgindo o gosto pelo futsal. Na realidade eu queria era jogar futebol, era o meu sonho. Por estar constantemente a jogar no ringue decidi começar a jogar futsal e felizmente o resultado está à vista.

RAFC: E qual foi o teu percurso no futsal?
Fábio Lima: O primeiro clube que representei foi a Portuguesa de Aldoar e depois ingressei no Boavista FC. Na temporada passada tive uma experiência no campeonato chinês, no Zhuhai Ming Shi.

RAFC: A nível de percurso académico, qual foi o teu trajeto?
Fábio Lima: Eu procurei sempre conciliar o futsal com os estudos e somente na época passada, aquando da minha passagem pela China, deixei de estudar. Espero um dia retomar os estudos.

RAFC: Ainda na tua fase de formação qual foi a tua ligação às equipas da Associação do Porto?
Fábio Lima: Desde os 15 aos 19 anos que sempre fui convocado para integrar as selecções da Associação de Futebol do Porto. Foram desafios que sempre me permitiram evoluir pois absorvi sempre novos conhecimentos, quer a nível técnico quer a nível pessoal.

RAFC: Como surgiu a vinda para o Rio Ave FC?
Fábio Lima: O convite nasceu mal regressei da China. Fui contatado pelo Clube e agradou-me de imediato a proposta que me foi apresentada. Não demorei a aceitar, percebi que era o ideal para mim. Esperava por uma oportunidade para me afirmar na primeira divisão e por isso não desperdicei a oportunidade.

RAFC: E após cerca de seis meses de trabalho como avalias a temporada no Rio Ave FC?
Fábio Lima: A minha avaliação é excelente. A verdade é que só tenho coisas boas a dizer do Clube e têm sido dados todos os motivos para estarmos numa boa classificação e manter boas prestações.

Fábio Lima

RAFC: E relativamente ao grupo de trabalho, qual é a tua opinião?
Fábio Lima: Temos um grupo de trabalho muito forte e com individualidades de grande nível. O plantel, equipa técnica, direcção e o staff de poio têm se mostrado mais do que capazes de garantir as metas estabelecidas. Somos um grupo complexo e de muita qualidade.

RAFC: Raúl Moreira é um jovem treinador. Como tem sido trabalhar com ele?
Fábio Lima: Tem sido uma boa experiência. Tenho gostado de trabalhar com esta equipa técnica pois, acima de tudo, revelam capacidade de evolução. É bom quando os jogadores sentem que a comandar estão pessoas competentes.

RAFC: Qual a importância para a tua carreira da passagem pelo campeonato chinês?
Fábio Lima: Eu tenho boas recordações dessa fase. Sem dúvida evolui como jogador mas acima de tudo cresci muito como pessoa. Alarguei os meus horizontes, abri portas para o futuro e mostrei as minhas qualidades num campeonato diferente.

RAFC: Foi difícil a adaptação a uma cultura tão diferente como a chinesa?
Fábio Lima: Encarei um grande choque cultural. A língua foi um dos principais entraves, mas na verdade a comida foi o mais difícil de ultrapassar, são hábitos totalmente diferentes.

RAFC: Estavam mais portugueses no mesmo clube chinês?
Fábio Lima: Sim, eu fui para a China com o Israel, o que me ajudou imenso. O fato de puder partilhar todas as situações com o Israel foi importante, apoiamo-nos mutuamente.

RAFC: Então falas um pouco de chinês, certo?
Fábio Lima: (risos) Não, nem por isso. É muito difícil… (risos)

Fábio Lima

RAFC: Viveste recentemente a tua estreia com a camisola da Seleção Nacional. Qual a sensação de envergar as cores do nosso país?
Fábio Lima: Eu trabalhei muito para ser chamado à selecção, mas admito que não esperava que fosse tão cedo. Espero continuar a fazer parte das próximas convocatórias e para isso vou continuar a me dedicar totalmente ao trabalho no Rio Ave FC

RAFC: Estreia que contou logo com um golo…
Fábio Lima: Foi um golo com um sabor especial. Marcar pela selecção nacional logo na minha estreia é inesquecível.

RAFC: O que disse o seleccionador nacional, o Prof. Jorge Braz?
Fábio Lima: O seleccionador disse-me que o importante era continuar a trabalhar bem no Clube pois se estiver bem no Rio Ave FC fico mais perto de manter a ligação à selecção nacional. O Prof. Jorge Braz deu-me apoio e mostrou confiança. Espero voltar a ser convocado.

RAFC: Até onde pode chegar o Rio Ave FC esta temporada?
Fábio Lima: Penso que temos qualidade para garantir um lugar no play-off. Alcançado o objectivo principal tudo pode acontecer.

RAFC: No próximo sábado, o Rio Ave FC recebe o Modicus. Quais os pontos fortes da equipa de Sandim?
Fábio Lima: Temos uma grande equipa mas o importante é demonstrar isso na quadra, impor-nos como favoritos. O Modicus fez uma boa época em 2011/2012 e tem agora como pontos fortes as individualidades que apresenta. Jogadores como o Nandinho e Gabriel podem fazer a diferença, é importante anular essas armas.

RAFC: Como te classificas enquanto jogador?
Fábio Lima: A meu ver destaco-me pela raça e entrega ao jogo. Sou um atleta rápido e que trabalha sempre no meu limite.

RAFC: O que falta evoluires mais ainda?
Fábio Lima: Eu preciso de ter menos momentos de desconcentração. Preciso também de crescer mais como pessoa pois é algo que acaba por se reflectir no futsal.

RAFC: Como és fora do universo do futsal?
Fábio Lima: Sou uma pessoa calma mas um pouco extrovertida. Sou brincalhão (risos), ou seja, no fundo sou muito parecido com o que podem ver no futsal.

RAFC: O que gostas de fazer nos tempos livres?
Fábio Lima: Além do futsal gosto de passear, ir ao cinema e no verão adoro ir à praia.

RAFC: A tua família acompanha a tua carreira?
Fábio Lima: A minha família sempre me apoiou principalmente o meu pai que é o meu maior critico. Ficaram muito contentes pela minha chamada à selecção nacional. O meu pai deu-me os parabéns e disse para eu estar atento e melhorar algumas questões para continuar a evoluir.

RAFC: Que mensagem queres deixar aos rioavistas?
Fábio Lima: Queria pedir que nos continuassem a apoiar pois é importante para a equipa sentir maior confiança. Vamos retribuir com trabalho.

Embarque Rumo À Vitória!