1DSC_6249 1DSC_6344 1DSC_6621 1DSC_7574 1DSC_7666 1DSC_8038 1DSC_8135 1DSC_8435 1DSC_8459 1DSC_8681 1DSC_8883 1DSC_8958 1DSC_9117
<
>

Vitória no regresso aos Açores

A última vez que a nossa equipa tinha jogado no estádio de S. Miguel, contra o Santa Clara, não era de boa memória. Uma derrota (nos penaltis) afastava-nos prematuramente da Taça de Portugal, há duas épocas atrás.

O regresso a Ponta Delgada era, por isso, aguardado com bastante expectativa. O Santa Clara tem feito um bom início de campeonato e em casa tem sido de uma qualidade de referência.

A nossa equipa vinha de uma exibição muito positiva, mas com resultado negativo, para a Taça da Liga.

Numa tarde de muito calor e com um nível de humidade sufocante, a primeira parte dividiu-se, a bom ritmo, entra oportunidades para as duas equipas. Entre Diego e Vinícius, o Rio Ave FC teve, por 3 vezes, a ocasião de marcar (14, 36 e aos 45).

O nulo continuou até ao intervalo e foi perdurando até ao minuto 70.

Já com Galeno em campo (entrou para o lugar de Gelson Dala aos 62′) o livro foi aberto.

Jambor faz um passe de cerca de 30 metros, encontrando Galeno no lado esquerdo em velocidade estonteante, deixando o defesa dos açoreanos para trás. O Extremo brasileiro so teve de levantar a cabeça e descobrir Vinicius que fez o 0-1.

Quatro minutos mais tarde, mais uma jogada rápida e a 3 tempos. Diego desmarca de forma soberba Matheus Reis, este endossa a bola a Galeno e o brasileiro marca o 0-2.

As coisas pareciam mais fáceis, mas o Santa Clara já mostrou que nunca desiste e, em casa, tem uma capacidade de resposta muito boa.

Aos 77′ minutos, Junio comete falta e vê o segundo cartão amarelo (consequente vermelho) e deixa o Rio Ave FC com menos uma unidade. Pior ainda, quando na conversão desta falta, em livre directo para a área, Vinicius introduz a bola na própria baliza por infelicidade e reduz para 1-2.

A pressão voltava a aumentar e o Santa Clara tentava empurrar a nossa equipa para o ultimo terço do terreno.

Foi aqui que se evidenciou o espirito estoico e corajoso de um grupo coeso que nunca se deixou intimidar, tentando aproveitar as transições rápidas em contra-ataque.

Ao minuto 90, Galeno só não faz o que seria o 1-3 porque foi travado em falta, quando seguia isolado para a baliza. Lance que resultou em expulsão do jogador do Santa Clara.

E nos últimos momentos da partida foi a vez de Vinícius, isolar-se, entrar na area e ser derrubado por Cesar. Pénalti que Schmidt converteu fechando as contas por 1-3.